Selecione a página

Constelação familiar, a história de sucesso dos modelos Mercedes Classe E Estate

Constelação familiar, a história de sucesso dos modelos Mercedes Classe E Estate

Desde 1977, os modelos Mercedes-Benz Classe E Estate escrevem uma história de sucesso contínua para as peruas da gama média-alta e de luxo. O novo Classe E Estate da série de modelos 214 é a sétima geração na linha mantém o amplo espaço com mais estilo e tecnologia.

Precursor: peruas “Universal” e “Slash Eight”

No início da década de 1950, as peruas, ou station wagons, originárias da América do Norte, atraíram um interesse crescente na Europa. Os veículos são baseados em sedãs com o teto estendido até à extremidade traseira da carroçaria. Isso cria um volume de transporte adicional. Os modelos Mercedes-Benz na gama média alta foram inicialmente oferecidos como peruas por fabricantes de carroçarias independentes, como Binz, Lueg e Miesen. Eles foram baseados em chassis Mercedes-Benz com carroceria parcial.

Em 1959, o Conselho de Administração da então Daimler-Benz AG decidiu que, para os modelos W 110 de quatro cilindros “tail fin” (1961 a 1968), “o desenvolvimento deveria tornar os ‘carros’ prontos para produção o mais rápido possível “. Em primeiro lugar, a partir de 1966, a Mercedes-Benz incluiu as peruas “Universais” do fabricante de carroçarias IMA em Mechelen, na Bélgica, no seu próprio programa de vendas. Estas foram as primeiras carrinhas que a marca vendeu diretamente aos seus clientes. Na geração seguinte “Slash Eight” das séries de modelos W 115 e W 114 (1968 a 1976), o desenvolvimento de uma perua interna progrediu bem. Embora o design de aparência harmoniosa não tenha sido produzido em série, ele forneceu um impulso importante para o primeiro Mercedes-Benz Estate, que apareceu na série de modelos 123.

Mercedes-Benz “Slash Eight” Estate

Mercedes-Benz Estate, modelo série 123

Na palavra alemã para perua, T-Modell, o T significa turismo e transporte – e assim a série de modelos 123 Estate apresentada em 1977 estabeleceu padrões no segmento de peruas de estilo de vida para lazer e desporto. Designado internamente como S 123, foi o terceiro estilo de carroceria da série depois do sedã e do Coupé (ambos de 1977). Foi o primeiro modelo Mercedes-Benz pelo qual Bruno Sacco foi responsável como chefe de design. A gama de modelos grandes estendeu-se até ao modelo 280 TE de seis cilindros ( 130 kW /177 cv). A aerodinâmica do Estate era ainda melhor do que a do sedã. A extensa gama de extras opcionais, especialmente para o transporte de equipamentos esportivos, destacou o foco no uso esportivo e de lazer luxuoso.

Mercedes-Benz (S123) Estate

Mercedes-Benz Classe E Estate, modelo série 124

A Mercedes-Benz apresentou o modelo 124 Estate no Salão Internacional do Automóvel de Frankfurt de 1985 sob o slogan “A Elegância da Praticidade”. Tal como as sedãs apresentadas em 1984, a Station caracterizava-se por motores a gasolina e diesel mais potentes e menos poluentes, um novo chassis com suspensão traseira independente multilink e uma carrocereria mais aerodinâmica. O progresso também foi feito em segurança passiva. Além disso, o sistema de suspensão hidropneumática com controle de nível garantiu segurança de direção ideal com baixo comportamento de autodireção como padrão em todos os modelos Estate. O sistema de tração integral 4MATIC autoativado desenvolvido pela Mercedes-Benz também fez sua estreia no S 124 em 1985. Após a introdução da nova nomenclatura na Mercedes-Benz em 1993, foi chamado de E-Class Estate. A partir do mesmo ano, o Estate também foi introduzido como uma variante de carroceria no Classe C na série de modelos 202. O E 36 AMG foi o primeiro AMG Estate na linha oficial da marca de 1993 em diante. Seu antecessor foi o 320 TE com pacote de tecnologia AMG, incluindo um motor de 3,6 litros (195 kW /265 cv).

Mercedes-Benz (S124) Estate, AMG version of a E 300 TE

Mercedes-Benz Classe E Estate, modelo série 210

O Classe E Estate na série de modelos 210, que apareceu em 1996, era um verdadeiro mestre de carga. De acordo com os padrões da VDA, a capacidade do porta-malas com os encostos dos bancos traseiros rebatidos era de 1.975 litros, em vez dos 600 litros na configuração normal. Pela primeira vez, foram oferecidas as três diferentes linhas de design e equipamentos CLASSIC, ELEGANCE e AVANTGARDE. Os recursos padrão agora incluem limitadores de força do cinto de segurança, bolsas laterais, um sensor de chuva para os limpadores de para-brisa e o auxiliar de estacionamento PARKTRONIC. Em 1997, o recém-desenvolvido 4MATIC de segunda geração fez sua estreia no E 280 4MATIC Estate. O E 55 AMG Estate tornou-se o novo modelo topo de gama em 1998. Várias inovações, a introdução de novas versões do motor e o facelift em 1999 mantiveram a série 210 Estate atualizada até ao final da produção em 2002.

Mercedes-Benz (S210) Estate

Mercedes-Benz Classe E Estate, modelo série 211

A Estate na série de modelos 211 apresentada em Detroit em janeiro de 2003 estava ainda mais relacionada aos sedãs do que na série de modelos anterior. As principais diferenças eram as paredes laterais com pilares C e D, os painéis do teto com armações e reforços e partes do piso traseiro. O conceito de segurança do Estate correspondia ao dos modelos três volumes. Um teto inclinado criou uma silhueta mais esportiva, ao mesmo tempo que houve um aumento adicional no espaço para os joelhos e para a cabeça nos bancos traseiros. Os motores variavam do E 220 CDI ao E 55 AMG. A opção de personalização designo foi adicionada às variantes de equipamentos existentes. As inovações técnicas incluíram o Active Light System (ALS) como um extra opcional e o sistema de tração integral 4MATIC modificado, disponível a partir do outono de 2003.

Mercedes-Benz (S211) Estate

Mercedes-Benz Classe E Estate, modelo série 212

A série de modelos 212 Estate estreou no outono de 2009. O design dinâmico foi caracterizado pela frente do sedã com dois pares de faróis retangulares duplos, que foi introduzido na mesma primavera. Variantes de equipamento estavam disponíveis desde a versão básica através das linhas ELEGANCE e AVANTGARDE até o AMG Sports Package. As opções de acabamento interno também eram muito extensas. Em comparação com o modelo anterior, havia ainda mais espaço no porta-malas: a capacidade do porta-malas aumentou de 670 para 695 litros, o espaço útil para 1.950 litros. A gama de modelos estendeu-se do E 200 CGI BlueEFFICIENCY ao E 63 AMG com o motor V8 M 156 de 6,2 litros desenvolvido pela AMG ( 368 kW/525 cv). Os novos recursos do S 212 incluem a direção DIRECT CONTROL (padrão nas versões V6 e V8, bem como 4MATIC) e uma ampla gama de sistemas de assistência para segurança ativa. Além disso, havia inúmeras opções de conforto e segurança. A partir do facelift em 2013, o S 212 foi o primeiro Classe E Estate a estar disponível na variante de equipamento AVANTGARDE e, como modelo AMG, também com a estrela central desportiva na grelha do radiador.

Mercedes-Benz (S212) Estate

Mercedes-Benz Classe E Estate, modelo série 213

A Mercedes-Benz apresentou em 2016 o Estate ao lado do sedã executivo mais inteligente (W 213). A soma de inovações, sobretudo nos sistemas de assistência, distinguiu esta geração do Classe E Station. A versão All-Terrain também foi derivada do S 213 em 2017. Expandir o compartimento de carga foi ainda mais fácil do que antes, graças ao novo sistema “Quickfold”. A capacidade de bagagem era de até 1.950 litros. Uma característica única no segmento de veículos era o banco rebatível opcional no compartimento de carga – já familiar da série de modelos anterior. A Estate tinha suspensão pneumática de série, incluindo controlo de nível no eixo traseiro. Com o facelift de 2020, a Mercedes-Benz introduziu a próxima geração de sistemas de assistência à direção, entre outras coisas, e melhorou ainda mais o conforto no interior.

Sobre o autor

Deixe uma resposta

comentários recentes