Selecione a página

Mercedes-Benz Classe B, o modelo multiuso era apresentado em fevereiro de 2005

Mercedes-Benz  Classe B, o modelo multiuso era apresentado em fevereiro de 2005

O Classe B fez a sua estreia no Salão Automóvel de Genebra em fevereiro de 2005 e celebrou o seu lançamento no mercado em julho de 2005. A Mercedes-Benz combinou os elementos visuais existentes: a versatilidade da minivan, o espaço de uma perua, as dimensões de um carro compacto e uma aparência jovial.

CONCEITO SPORTS TOURER

O Classe B foi a segunda série de modelos da Mercedes-Benz a ser projetada no conceito multiuso: essa designação representava uma classe de veículos que combinava as vantagens de conceitos de veículos bem conhecidos. Em particular, elementos do sedã esportivo, da perua, da van e do “Sport Utility Vehicle” (SUV) fluíram para o novo perfil de veículo. Como o Classe A das séries 168 e 169, o Classe B também foi construído de acordo com o princípio do chassi sanduíche. O motor e a transmissão foram colocados parcialmente à frente e parcialmente sob a célula do passageiro. Em junho de 2005, o Classe B chegou ao mercado.

A Mercedes-Benz brindou a estreia mundial do Classe B com o slogan: “Mercedes em uma nova dimensão. O Classe B.” O lançamento no mercado foi acompanhado por uma campanha de comunicação multimídia fortemente apoiada na Internet. Incluiu também uma oferta de entretenimento com música e livros áudio em formato MP3 para download gratuito.

Promoção Internacional do Novo Mercedes-Benz Classe B com Ampla Oferta de Entretenimento na Internet

Variante da série baseada no estudo “Vision B” de 2004

Em 2004, a Mercedes-Benz apresentou o Compact Sports Tourer “Vision B” no Salão Automóvel de Paris. Este estudo de um futuro carro de turismo antecipou vários elementos do Classe B. No “Vision B”, o motor e a transmissão foram instalados parcialmente na frente e parcialmente abaixo da célula de passageiros de acordo com o conceito sanduíche. Apesar de suas dimensões externas compactas, o carro oferecia o mesmo espaço interno encontrado em grandes sedãs e as peruas. Sob o capô havia um novo motor diesel de quatro cilindros com potência de 103 kW (140 cv) e 30,6 m.kgf de torque. O consumo médio de combustível era de 16,7 km/l e motor já cumpria as normas de emissões Euro 4. Foi instalado um filtro de partículas diesel.

A Classe B da série T 245 foi apresentado no Salão Automóvel de Genebra e havia muitos elementos estéticos vistos no conceito Sports Tourer. O segundo modelo da Mercedes-Benz a seguir este conceito surgiu um pouco mais tarde: apenas algumas semanas após a estreia do Compact Sports Tourer da série T 245, a Mercedes-Benz apresentou o novo Classe R no Salão de Nova York.

O Classe B destinava-se especificamente a um segmento de mercado jovem: o Sports Tourer respondia aos desejos das pessoas por um automóvel com muito espaço, conforto exemplar, boa funcionalidade, visual jovial e grande prazer de condução. Isso fez do Classe B um veículo de passeio, familiar e de lazer com valor agregado significativo em termos de aparência e dinâmica.

DIMENSÕES DA CLASSE DE CARROS COMPACTOS

Graças ao arranjo de economia de espaço do motor e da transmissão, alguns na frente e outros sob o compartimento de passageiros, o Classe B oferecia o espaço interno de sedãs e peruas maiores, apesar de suas dimensões externas compactas. A carroceria media 4270 milímetros de comprimento e, portanto, correspondia às dimensões da classe de carros compactos. No interior, porém, a série 245 superou os automóveis do mesmo porte em todas as dimensões relevantes para o conforto, como espaço para os ombros, espaço para as pernas e altura livre. Na traseira, os ocupantes se beneficiavam da longa distância entre eixos (2.778 milímetros), que permitia um espaçamento entre bancos e joelhos quase correspondente ao nível do Mercedes-Benz Classe S.

O Classe B também alcançou novas dimensões em termos de variabilidade e volume de carga. Graças a um piso do compartimento de carga ajustável em altura, um banco traseiro assimétrico, dobrável e removível e um banco do passageiro removível opcional, o Compact Sports Tourer foi transformado de um confortável carro de turismo em uma prática perua em apenas alguns passos simples. Dependendo da posição e condição de instalação dos assentos, o volume de carga aumentava de 544 litros para até 2.245 litros (com os bancos traseiros e o banco do passageiro dianteiro removidos). Isso correspondia à capacidade de carga de grandes peruas. O comprimento máximo de carregamento foi de 2,95 metros.

O Classe B era movido por motores a diesel e a gasolina. A gama de trem de força atendeu às demandas do conceito Sports Tourer para desempenho de direção e prazer ao dirigir. Havia uma escolha de seis motores de quatro cilindros com potências variando de 70 kW (95 cv) a 142 kW (193 cv): o B 180 CDI com 80 kW (109 cv), o B 200 CDI com 103 kW (140 cv), e o B 150 com 70 kW (95 cv), o B 170 com 85 kW (116 cv), o B 200 com 100 kW (136 cv) e o modelo top B 200 TURBO com 142 kW (193 cv).

O B 200 TURBO foi lançado com um novo motor de quatro cilindros de 2 litros que, graças a um turbocompressor e intercooler, forneceu um torque máximo de 28,5 m.kgf a partir de apenas 1800 rpm e manteve esse valor constante em uma ampla faixa de rotação do motor até 4850rpm. O mais potente Compact Sports Tourer acelerou de 0 a 100 km/h em apenas 7,6 segundos, completou a aceleração de 80 km/h a 120 km/h em quinta marcha em 7,3 segundos e atingiu uma velocidade máxima de 225 km/h.

No topo da gama diesel, o B 200 CDI, com 30,6 m.kgf de torque, distinguia-se pela sua impressionante força de tração. Este recém-desenvolvido turbo diesel com injeção direta common rail acelerou o Classe B de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos e de 80 km/h a 120 km/h em 10,0 segundos (na quinta marcha). A velocidade máxima do B 200 CDI era de 200 km/h. Apesar desta performance de condução superior, o consumo de combustível era de 17,6 km/l (em consumo combinado). Todas as variantes a diesel do Classe B foram equipadas com um filtro de partículas livre de manutenção como padrão e atenderam aos estritos limites de emissão da UE 4.

A Mercedes-Benz equipou o novo B 200 TURBO e os modelos CDI B 180 CDI e B 200 CDI com transmissão manual de seis marchas de série. A recém-desenvolvida transmissão automática continuamente variável AUTOTRONIC estava disponível como opção para todas as variantes de motor do Classe B.

A tecnologia inovadora do chassi garantiu uma combinação equilibrada de agilidade, segurança e conforto: a direção eletromecânica gerou a direção assistida com a ajuda de um motor elétrico – independentemente da velocidade de condução. Como resultado, o efeito servo foi maior em baixas velocidades do que em altas velocidades e facilitou o estacionamento ou as manobras. O chamado eixo traseiro parabólico esférico também foi um novo desenvolvimento. Ele deu uma contribuição significativa para o comportamento estável e esportivo, preciso e para o alto nível de conforto de direção do Classe B.

ESP COM ASSISTENTE DE DIREÇÃO STEER CONTROL

O programa eletrônico de estabilidade ESP® desenvolvido posteriormente ofereceu uma nova função adicional pela primeira vez: o assistente de direção STEER CONTROL. Ele trabalhou em conjunto com a direção assistida eletromecânica e reagiu em situações críticas de dinâmica de direção com assistência elétrica adaptada para ajudar o motorista a estabilizar o carro. A nova função adicional ESP® também ajudou com as correções de direção ao frear em superfícies de estrada diferentes de um lado e deu ao motorista um contato com a estrada ainda melhor.

Outra característica padrão do Compact Sports Tourer era o sistema de amortecimento seletivo, que adaptava as forças do amortecedor à situação de direção atual: Com um estilo de direção normal, as características do amortecedor macio asseguravam um alto nível de conforto de direção; a força de amortecimento total foi definida para curvas dinâmicas e o Classe B foi estabilizado da melhor maneira possível.

O princípio sanduíche patenteado, que permitia valores máximos em termos de economia de espaço, era o cerne do conceito de segurança da série 245. Ao dispor o motor e a transmissão em posição inclinada, parte à frente e parte sob o compartimento de passageiros, um comprimento de deformação efetivo maior estava disponível na extremidade frontal. No caso de uma colisão frontal severa, a unidade motriz não se deslocou para o interior, mas foi capaz de deslizar pelo piso do pedal, que também era inclinado. Além disso, o conceito sanduíche oferecia claras vantagens em caso de impacto lateral, pois os ocupantes sentavam-se cerca de 200 milímetros mais alto – e, portanto, acima da zona de impacto. Apesar de suas dimensões externas compactas, o Classe B oferecia a segurança dos ocupantes típica da Mercedes-Benz. Airbags dianteiros de dois estágios, tensores de cinto na frente e nos bancos laterais traseiros,

No que diz respeito ao equipamento interior, o visual e a sensação proporcionam um ambiente sofisticado que também oferece um elevado nível de conforto em viagens longas. Ar condicionado, volante de quatro raios com botões multifuncionais, apoios de braço entre os bancos dianteiros, vidros elétricos e vidros com isolamento térmico faziam parte do equipamento padrão – assim como acabamentos de alta qualidade em alumínio escovado no console central, túnel forro e os painéis das portas. A Mercedes-Benz combinou outras características de desenho que reforçam a aparência esportiva e elegante ou os atributos esportivos do Classe B em um pacote cromado e um pacote esportivo. Ambos estavam disponíveis mediante solicitação.

Numerosos sistemas da classe de luxo Mercedes-Benz estavam disponíveis para o Compact Sports Tourer. A Mercedes-Benz oferecia o Classe B com recursos opcionais, como controle climático automático THERMOTRONIC, bancos dianteiros ajustáveis ​​eletricamente, estofamento em couro e sistemas de rádio/navegação COMAND APS ou Audio 50 APS. Os faróis de projeção padrão atrás de vidro transparente foram opcionalmente equipados com tecnologia bi-xenon, luzes de curva ativa e luzes de curva.

TETO SOLAR PANORÂMICO COM PERSIANAS RECÉM-DESENVOLVIDO

Um teto solar panorâmico recém-desenvolvido ofereceu aos passageiros do Classe B uma experiência especial ao ar livre e, mesmo quando fechado, contribuiu para o ambiente interno brilhante e amigável do Compact Sport Tourer. A abertura do teto era cerca de dois terços maior do que a de um teto solar convencional. Como alternativa ao teto solar, estava disponível como opção um teto panorâmico fixo com painel de vidro cinza de 0,6 metros quadrados.

O Classe B também ocupava uma posição exemplar quando se tratava de multimídia: com o iPod ®  Interface Kit, a Mercedes-Benz foi a primeira fabricante de automóveis a permitir a integração total do iPod® MP3 player da Apple em seus carros de passeio. O sistema de fácil utilização, desenvolvido pela Mercedes-Benz Accessories GmbH, foi introduzido pela primeira vez no mercado europeu em maio de 2005 no Classe B. Mais tarde, o iPod® Interface Kit também estava disponível para outras séries da Mercedes-Benz. O Intelligent iPod® Interface Kit foi caracterizado por seu alto nível de conveniência operacional: o motorista navegou pelas funções do menu do iPod® usando os botões no volante multifuncional e controlava o volume da mesma forma. O display central no painel de instrumentos mostrava a respectiva faixa de música ou outro item de menu selecionado e fornecia informações sobre os arquivos armazenados pelo MP3 player. Essa solução ergonômica evitou distrações desnecessárias do tráfego e, assim, contribuiu para a segurança ativa na direção.

No primeiro ano após o lançamento no mercado do Classe B, cerca de 120.000 clientes já optaram pelo Compact Sports Tourer. Os pacotes de equipamentos estavam em alta demanda. Assim, em 2006, a Mercedes-Benz ampliou esta oferta com o pacote ativo. O pacote ativo para o Classe B reuniu os equipamentos especiais mais populares e, assim, garantiu uma atratividade adicional para o cliente. O escopo de entrega incluía, entre outras coisas, um espaçoso teto panorâmico de vidro com persiana manual, controle de cruzeiro, faróis de neblina, caixas de armazenamento sob os assentos do motorista e do passageiro dianteiro e a interface Aux-In (de Audio 20) para conectar dispositivos externos, como Apple iPod® ou outros leitores de MP3. O pacote de luz e visão com sensor de chuva e comutação automática dos faróis também fazia parte do pacote ativo. Ele deu aos clientes da Classe B uma vantagem de preço de cerca de 30 % em extras opcionais.

Em 2006, o Classe B recebeu o número máximo de cinco estrelas como resultado dos testes de colisão de acordo com a classificação europeia NCAP (New Car Assessment Programme). Este prêmio dos testadores independentes ressalta a importância do conceito de segurança sanduíche desenvolvido e patenteado pela Mercedes-Benz, que provou seu valor milhões de vezes desde 1997 no Classe A e desde 2005 no Classe B. Além disso, a série 245 foi eleita a melhor minivan da Alemanha pelos leitores da revista “Auto Zeitung” e foi premiada com o “Auto Trophy 2006”.

No ano seguinte, o instituto ambiental de renome internacional Öko-Trend concedeu ao B 200 CDI e ao A 160 CDI o certificado ambiental automotivo. Ambos os veículos Mercedes-Benz tiveram um desempenho bem acima da média em todas as áreas. Na opinião do instituto, eles não apenas ofereceram excelentes valores em termos de consumo de combustível e emissões de escapamento e ruído, mas também brilharam com uma produção ecologicamente correta, escolha de materiais e logística. De acordo com as conclusões da Öko-Trend, o Mercedes-Benz Classe B é caracterizado por “alta variabilidade e bom espaço e um equilíbrio ambiental convincente”. O Öko-Trend-Institut elogiou especialmente a condução do B 200 CDI: “O motor diesel de 140 cv é fornecido com um filtro de partículas como padrão. Graças ao alto torque de 30,6 m.kgf, que já está disponível a partir de 1.600 rpm, esta unidade permite um estilo de direção relaxado e mudanças rápidas. Na prática, podem ser alcançados valores de consumo de 16,7 km/l. Em suma, o Mercedes B 200 CDI merece classificações ambientais muito boas”. O instituto também enfatizou os altos padrões ecológicos que geralmente se aplicam à Mercedes-Benz.

A MAIORIA DOS CLIENTES ENCOMENDOU A VARIANTE A DIESEL

Em maio de 2007, o Classe B foi eleito o “Carro da Empresa do Ano de 2007” na categoria “Vans” na Alemanha. Em um total de nove categorias, gestores de frota de médias e grandes empresas avaliaram a funcionalidade e o design dos veículos, além das características de direção, custo e conforto em mais de 1.500 test drives. Naquela época, a Mercedes-Benz já havia entregue mais de 250.000 veículos da série 245. O mercado mais importante para o Classe B foi a Alemanha, responsável por cerca de um terço das vendas globais, seguida pela Itália, França, Japão e Espanha. A maioria dos clientes do Classe B optou por um modelo a diesel, um em cada três pelo B 180 CDI e outros 20 por cento pelo modelo B 200 CDI.

Em março de 2008, três anos após o início da produção do Classe B, a Mercedes-Benz apresentou a geração renovada da série 245.

Fonte: Mercedes-Benz Group AG

Sobre o autor

Deixe uma resposta

comentários recentes