Selecione a página

Mercedes-AMG GT Black Series: 730 cv para manter a reputação de alto desempenho

Mercedes-AMG GT Black Series: 730 cv para manter a reputação de alto desempenho

A Mercedes-AMG revelou detalhes técnicos completos sobre seu novo super carro esportivo, o GT Black Series depois que ele apareceu em um filme publicado pela AMG no começo do mês de julho. O AMG GT Black Series sinaliza um retorno ao auspicioso título após sete anos, quando apareceu pela última vez no antecessor do GT, a SLS Black Series em 2013. A divisão atuou quase como uma instalação de skunkworks na AMG, criando modelos com a reputação de serem extremo, intransigente e extremamente emocionante. Com base nas informações divulgadas, a nova GT Black Series não deve ser diferente.

Primeiro e acima de tudo, o novo GT Black Series sinaliza uma grande partida para a marca, ao revelar uma versão altamente atualizada do venerável V8 biturbo (M178) de lubrificação por cárter seco da AMG, com 730 cv entre 6700 e 6900 rpm. O torque é superior a 81,6 m.kgf entre 2.000 a 6.000 tpm, isso representam expressivos aumentos de 145 cv e 10,2 m.kgf sobre o AMG GT R, até então o mais potente da série.

Ainda mais interessante do que seus números definitivos é a composição técnica do motor, que mudou o suficiente para a AMG garantir, dando ao M178 uma nova designação batizada de LS2 (sem relação com o GM LS2, naturalmente). Isso ocorre porque, entre outras atualizações, o motor V8 da GT Black Series apresenta o virabrequim plano, um estilo de arquitetura mecânica geralmente reservado para motores V8 de alto desempenho.

O que o virabrequim plano faz é facilitar a ordem de queima para criar colunas de gás mais equilibradas após o processo de combustão que aumenta o desempenho, melhora a resposta do acelerador e permite que o motor gire mais limpo em altas rotações. A AMG também instalou um sistema de comando de válvulas, admissão e escape sob medida, agora movido para os lados internos das bancadas do “V”, onde os dois turbos estão localizados. Os turbos em si também são maiores que os do GT R padrão, compartilhando os mesmos rolamentos antifricção do GT63 S e apresentando rodas de compressor maiores que produzem mais potência sem comprometer a resposta do acelerador. Os benefícios são maior suavidade e alto torque em baixa rotação, além de um som característico. Nova ordem de ignição com deslocamento do ângulo do virabrequim de 180 graus é de: 1-8-2-7-4-5-3-6.

A potência do novo motor é enviada exclusivamente para as rodas traseiras através de uma versão atualizada da transmissão de dupla embreagem de sete marchas do GT R padrão através de um tubo de torque de fibra de carbono. Os números de desempenho citados estão justamente no lado mais extremo das coisas, de 0 a 100 km/h em 3,2 segundos, passa pelos 200 em 9 s e alcança a velocidade máxima de 325 km/h – um número que é, sem dúvida, é alcançado pelo novo pacote aerodinâmico da GT Black Series.

A AMG adotou uma postura igualmente agressiva nas atualizações do chassi, com uma reengenharia substancial da suspensão e da carroceria. O carbono é o material de sua escolha, mas além de apresentar grande parte da carroceria – capô, capota, painel do teto, asas dianteiras e dispositivos aerodinâmicos – a AMG também montou uma seleção de componentes estruturais de carbono, incluindo aí um canal embaixo do painel do motor e um suporte de braço ajustável recém-projetado, situado sobre o eixo dianteiro. O eixo traseiro também possui um suporte de apoio, desta vez em aço, que também é ajustável em termos de rigidez.

A carroceria em si tem o mesmo visual em alumínio do GT padrão, mas apresenta novos braços forjados com suspensão dupla, articulações da direção e cubos das rodas dianteiros e traseiros que aumentam a rigidez e reduzem o peso não suspenso. Os freios de cerâmica são de encaixe padrão; a suspensão de coilover também é ajustável com amortecedores adaptáveis ​​constantemente variáveis. Também é instalado o sistema de controle de tração variável da AMG, que é ajustável através de um botão físico no centro do painel. As rodas escalonadas de 19 e 20 polegadas forjadas também são novas e estão envolvidas em um composto sob medida de borracha Michelin Cup 2 R. Na dianteira temos medidas de 285/35 ZR 19 e na traseira 335/30 ZR 20.

A AMG modelou o design do GT Black Series com a nova grade maciça que não é apenas uma peça de função estética, mas sim funcional, com a entrada principal agora formando a abertura total da entrada que alimenta os dois coolers externos, bem como as principais aberturas de entrada e refrigeração do motor. Isso deixa as aberturas externas para se concentrar na limpeza do ar sobre as rodas dianteiras e na adição de mais fluxo de ar e, portanto, força descendente no separador de carbono abaixo. As asas dianteiras e as saias inferiores também são personalizadas para a Série Black, mas é a combinação de asa traseira e difusor que é o dispositivo aerodinâmico mais assertivo, inspirando-se diretamente nos pilotos da GT.

O interior do AMG GT Black Series traz bancos esportivos de fibra de carbono com revestimento em couro e microfibra e novo volante. Os painéis de porta são mais simples e os vidros mais finos para ajudar na redução de peso (valor não informado). Com o pacote opcional AMG Track vêm cintos de competição de quatro pontos, extintor de incêndio e estrutura de proteção da cabine em titânio, para que o Black Series possa ir às pistas com mais segurança.

Sobre o autor

Trackbacks / Pingbacks

  1. Mercedes-AMG GT Track Series, série especial feita para comemorar os 55 anos da casa de Affalterbach – Mercedes Magazine - […] pela Mercedes-AMG, e sua produção é limitada a apenas 55 exemplares. Baseado no monstruoso Mercedes-AMG GT Black Series, o…

Deixe uma resposta

comentários recentes