Selecione a página

CLK, o Mercedes de uma nova face

CLK, o Mercedes de uma nova face

O CLK pega o bastão

No Salão Automóvel de Genebra de 1993, a Mercedes-Benz apresentou um conceito de cupê. O modelo de quatro lugares e duas portas introduzia um novo visual de “duplo farol” na Mercedes-Benz, que estrearia em 1995 na Classe E (W210). Este carro-conceito foi um ponto de partida estilístico para o lançamento de uma iniciativa estratégica de produto e antecipou a linguagem de design de muitos modelos subsequentes. Tanto fãs como observadores profissionais ficaram encantados.

No entanto, os interessados ​​em potencial tiveram que ser pacientes até 1997. Somente então o CLK Coupé (série 208), que apresentava uma semelhança surpreendente com o carro-conceito, foi lançado no mercado. A semelhança do carro-conceito de 1993 com o novo cupê era óbvia, obra do então gerente de design da Mercedes-Benz, Bruno Sacco.

O novo CLK estreou no Salão Internacional do Automóvel da América do Norte (NAIAS) em Detroit em janeiro de 1997. Tecnicamente, o modelo de duas portas foi baseado no Classe C existente (série 202). Mas, como um cupê de quatro lugares, continuou a abordagem tradicional dos cupês de Classe E. Em 1998, a série 208 CLK Cabriolet também se tornou disponível. As opções de motores cupê variaram entre o CLK 200 de quatro cilindros (136 cv) e o modelo topo de linha V8 CLK 430 (279 cv). A versão V6 do CLK 320 (218 cv) foi o cabriolet mais potente da gama.

Em 1999, ambas as variantes da família CLK foram significativamente atualizadas como parte de um facelift. Os recursos padrão estendidos agora incluem elementos longitudinais e faixas de proteção pintadas na cor do carro, capas de espelhos externas com indicadores laterais integrados, ajuste elétrico de altura e posição longitudinal dos bancos dianteiros, cintos de segurança dianteiros com ajustes automáticos, visor central no painel de instrumentos, volante multifuncional para operação do sistema de áudio e telefone, lâmpadas de saída nas portas, rádio do carro RDS “Audio 10”, programa eletrônico de estabilidade ESP®, além de controle de cruzeiro e SPEEDTRONIC. O novo motor topo de gama disponível para o cupê e o cabriolet foi o CLK 55 AMG (347 cv).

A elegante, mas esportiva série de modelos 208 provou ser extremamente bem-sucedida: entre 1997 e 2002, a Mercedes-Benz construiu nada menos que 233.367 CLK Coupés e entre 1998 e 2003 um total de 115.161 CLK Cabriolets.

Sobre o autor

Deixe uma resposta

comentários recentes